Desde sempre lembro-me viajando em imagens. Primeiro elas fugiram de meu olhar interno e se faziam ver mergulhadas em papel e cores. Depois vieram as palavras e a inspiração dos sonhos, pois foi a realidade que, muitas vezes, trouxe os pesadelos. Em busca de organizar este mundo interior surgiu a Ilha.União de idéias e sonhos, asas que herdei. Apresento-a em pequenos trechos e peço que questionem, perguntem muito para que ela possa tornar-se mais rica e interessante, lugar melhor pra viver.

14.8.15

Uma esposa imaginada



Photo by David Pattinson

Uma esposa imaginada


Andavam perto das bodas de ouro e tanto no corpo quanto no comportamento, se podia notar o relaxamento e os hábitos que irmanam casais como se o fossem desde sempre.
Com a família criada e o trabalho essencial, levavam uma rotina insossa que não a satisfazia.
anos ela percebia que, cada dia mais, ele parecia criar e projetar sobre ela uma mulher que nem sempre correspondia à idéia que tinha sobre si mesma.
Chegava da rua trazendo pequenos agrados totalmente distantes de seu gosto, manifestado ao longo dos anos. Convidava para programas que jamais partilharam, pelo simples fato de serem apenas da escolha dele, como se pudessem dar prazer a ela. Seus interesses e motivações divergiam assustadoramente e nem pareciam viver juntos a tanto tempo.
O isolamento foi tomando conta da vida do casal, mas ele não parecia perceber nem se incomodar. Muitas vezes esquecia de partilhar com ela algum fato novo, um livro que comprara, um programa de TV que assistia e era comum não registrar assuntos ditos por ela, como se não a ouvisse.
Ela parou de reclamar ao perceber que ele se relacionava com uma pessoa imaginada e quepelos sinais que deixava, acreditava ser real como, por exemplo, um bilhete inusitado mencionando algum fato absolutamente desconhecido para ela
Jandira, a senhora que cuidava da casa e zelava pelo casal na medida em que envelheciam, passou a estranhar quando ele começou a se arrumarvestir roupas novas e parecer animado como um adolescente. Como este comportamento iniciou na ocasião em que a esposa havia ido passar um mês em uma casa de repouso, ela imaginou haver algum romance acontecendo na vida do idoso. Afinal, homens são assim, pensava a cuidadora.
Até que ele passou a trazer e mostrar para Jandira as roupas novas que comprara de presente para a esposa, comentando como ela havia emagrecido e como estava bela como quando se conheceram. Contava que haviam saído para dançar, ido ao cinema e que estavam namorando outra vez.
A princípio Jandira ficou feliz e continuava a conversar com o patrão, ouvindo suas histórias romanescas, embora estranhasse o fato de jamais encontrar com a patroa durante a semana.
A situação foi esclarecida quando os filhos chegaram para cuidar das roupas e objetos da mãe falecida há um mês.

Itaipava, em 05-07-2015
Angela Schnoor



2 Comments:

Blogger Eduardo Oliveira said...

conto interessante, angela.

9:54 PM

 
Blogger Angela said...

Obrigada Dudu!
Um pouco, um caso real.

4:33 PM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home