Desde sempre lembro-me viajando em imagens. Primeiro elas fugiram de meu olhar interno e se faziam ver mergulhadas em papel e cores. Depois vieram as palavras e a inspiração dos sonhos, pois foi a realidade que, muitas vezes, trouxe os pesadelos. Em busca de organizar este mundo interior surgiu a Ilha.União de idéias e sonhos, asas que herdei. Apresento-a em pequenos trechos e peço que questionem, perguntem muito para que ela possa tornar-se mais rica e interessante, lugar melhor pra viver.

6.11.06

IRMÃOS GÊMEOS


Joker - criação de A. Schnoor


IRMÃOS GÊMEOS – A QUESTÃO DA INDIVIDUALIDADE.

Hoje, graças à interferência da ciência sobre a natureza feminina, a possibilidade do nascimento de trigêmeos, quadrigêmeos etc. é muito grande. Antes do uso de anticoncepcionais e das fecundações artificiais a ocorrência de gêmeos dependia de alguns fatores genéticos, da raça e de faixa etária das mães, mas mesmo assim, eles atraiam o interesse e a curiosidade das pessoas. (veja mais aqui)

Uma das perguntas mais comuns feitas aos astrólogos sobre os mapas de gêmeos é quanto à possibilidade das crianças terem o mesmo mapa. Como a astrologia explicaria estes casos?

Para iniciar devo dizer que o mapa astrológico não determina e nem descreve como se é, mas as possibilidades que se tem para desenvolver melhor e com mais conhecimento de causa o potencial ali inscrito, além de orientar nos momentos críticos durante o ciclo da vida.

No caso dos gêmeos, quase sempre existe um intervalo mínimo entre um nascimento e outro, o que pode gerar diferenças fundamentais em ângulos do mapa. Mas, pode ser que este intervalo de tempo não concorra para alguma diferença marcante e então, os mapas seriam quase idênticos.

Veja
aqui algumas pesquisas que já foram feitas no sentido de buscar o entendimento dos mapas de Gêmeos.

Minha experiência com clientes assim como com pessoas amigas, me trouxe uma resposta que se baseia na teoria das polaridades, aliada à necessidade humana de autoconhecimento e afirmação pessoal.

Assim como todos os humanos, os gêmeos têm sua personalidade única a ser desenvolvida. Para aqueles que nascem de um mesmo óvulo e portanto, com características físicas externas muito semelhantes, a afirmação da individualidade fica ainda mais difícil, quando os pais e a sociedade que os cerca sobrecarrega esta similitude, vestindo-os com roupas idênticas e criando expectativas de comportamento, fato que os gêmeos só aceitam e até se divertem, quando existe a possibilidade de brincar com estranhos ou tentar confundir os próprios pais e amigos.

Dia e noite, sol e chuva, frio e calor, feminino e masculino, energia e matéria, se unem pela oposição. O mundo se mantém dinâmico enquanto forças opostas e complementares se equilibram. Assim, a sabedoria astrológica nos ensina, através de seus elementos, a somar e harmonizar.

Os gêmeos sempre intrigaram as culturas, pois exprimem a dualidade de todo ser e por isso, foram muitas vezes retratados como antagonistas. Se um é bom, o outro é mau; se um constrói, o outro destrói. Simbolizam a eterna luta do ser humano dividido entre contradições espirituais e materiais na tentativa de afirmar sua personalidade.

Por se tratar do mito que encarna os gêmeos meninos, vamos nos deter na história de Castor e Pólux embora haja outros gêmeos no universo dos mitos.
Conta a mitologia que Leda casou com Tíndaro, rei de Esparta. Na noite de núpcias, banhava-se no lago encantado quando Zeus, apaixonado, disfarçou-se em um belo cisne. Leda pôs o animal no colo e o acariciou. Zeus fecundou Leda. Depois, ela foi fecundada mais uma vez pelo marido.
Do primeiro ovo de Leda, nasceram os imortais Pólux e Helena. Nasceram também, de outro ovo, Castor e Clitemnestra. Os dois primeiros foram considerados filhos de Zeus, os dois últimos filhos de Tíndaro. Castor, mortal como Tíndaro; Pólux, imortal como Zeus.
Apesar de terem pais diferentes, os irmãos Castor e Pólux eram conhecidos como Dióscuros, filhos de Zeus. Os dois eram inseparáveis e corajosos. Castor era guerreiro e impulsivo, Pólux era músico e sereno. Opostos complementares que se equilibraram, unindo, em movimento, suas naturezas humana e divina.
Após a morte de Castor em uma batalha, Pólux desatou em prantos, porque, sendo imortal, não podia acompanhar seu irmão aos Infernos. Atormentado, suplicou ao seu pai, Zeus, que o matasse ou devolvesse o companheiro Castor. Comovido com tamanha fraternidade, o senhor dos Deuses propôs a única solução para salvar o jovem: Pólux deveria dividir a sua imortalidade com o irmão, alternando com ele um dia de vida e outro de morte. Pólux não hesitou em dar a resposta afirmativa e, a partir desse instante, os irmãos passaram a viver e morrer alternadamente. Para celebrar tamanha prova de amor fraterno, Zeus transformou os Dióscuros na constelação de Gêmeos, onde não poderiam ser separados nem pela morte.

Principalmente quando crianças, os irmãos gêmeos costumam fazer o que podem, para marcar o território de suas personalidades.

Como exemplo vivo, observei o comportamento de duas meninas filhas de uma antiga cliente que veio a mim para conhecer o potencial das filhas gêmeas. Elas haviam nascido no Hemisfério Norte, mas a mãe era brasileira e estava em visita a sua família de origem. Depois de examinar os mapas das crianças perguntei à mãe se elas lhe pareciam opostas.

A resposta afirmativa foi acrescida da descrição das características da polaridade Capricórnio / Câncer, signos onde se encontravam o Sol e a Terra à época do nascimento das meninas, o equivalente a inverno e verão em cada hemisfério.

Assim sendo, enquanto uma delas se mostrava séria, adulta e ordeira, a outra era doce, sonhadora e vivia pedindo proteção à mãe.
Melhor ainda foi a observação feita: uma vez chegadas ao Rio, mudando de ambiente e de hemisfério, a polaridade se inverteu. As irmãs trocaram de papéis.
Por ai, seguiu-se a análise de todo o potencial do mapa com algumas características ainda não observadas pela mãe já que as pequenas tinham muito pouca idade, mas foi o suficiente para perceber a “partilha” deste mapa como descrito no mito.

A adoção de partes do mesmo mapa também ficou bastante visível no convívio com duas amigas de longa data. Enquanto uma delas vivenciava um potencial a outra assumia as qualidades opostas. Depois de um tempo razoável de vida, pareceu-me que elas mudaram radicalmente, como se uma emprestasse à outra a parte que havia exibido em suas experiências de vida.

Comecei a perceber que, assim como os gêmeos são cúmplices brincalhões ao confundir aqueles que esperam deles uma unidade, tem a necessidade de tornarem-se unos assumindo o potencial descrito no mapa como um todo, quando a unicidade não mais ameaça sua individualidade.

Durante a vida é como se fossem parceiros de luz e sombra, como se balançassem harmoniosamente em uma gangorra.

Enquanto isto não acontece podemos ver, com freqüência, um dos indivíduos estar saudável, enquanto seu irmão adoece; desenvolver qualidades pragmáticas quando o outro parece apenas sonhar e assim por diante e até mesmo, se houver potencial narcísico, um deles jamais desejar a individuação, vendo o outro apenas como espelho de si mesmo.

Equilibrar os opostos que convivem internamente no próprio ser, conhecer a si mesmo e suas polaridades é o melhor caminho para a harmonia.Os gêmeos parecem ter condições de resolver o impasse presente em cada um de nós, pelo fato de terem um espelho vivo e constante para escolher se sua dualidade os levará a somar ou subtrair.

Um mais um serão dois ou um menos um os levará à anulação mútua?

Angela Schnoor – Rio de Janeiro, Seis de novembro de 2006 – 0:59’ HV.

FRASE DO DIA

Jamais confunda movimento com ação.

Ernest Hemingway

Posted by Picasa

6 Comments:

Blogger chuvamiudinha said...

Cheguei aqui vinda de 125 azul e acho o seu blog maravilhoso. Que bonito, já aprendi muito para começar bem o dia e a semana. Obrigado.

7:03 AM

 
Blogger greentea said...

que estranha forma de vida, essa dos g´´emeos...

nunca os vi assim, mas de facto muitos sao opostos, por vezes e distraem-se, distraiem-se usando as roupas ora de um ora de outro para nos confundirem , como meus dois primos g´´emeos, a mulher de um outro meu primo ela propria gemea e mae de gemeas, que assumem alternadamente facetas diferentes, por vezes totalmente dsconhecidas.

Muito interessante este teu post, tendo em conta que a privacidade dos gemeos em apreciaçao tem de ser resguardada e eles tem o seu proprio trilho para seguir...

um beijo grande para ti

estive uns dias fora e por isso nao tenho vindo aqui.

7:50 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Dinda querida:
interessante esta análise das potencialidades dos gemeos. Estive lendo sobre o potencial do bebê de aquário e parece que meu garotinho será sério, independente e inovador. Mas isso já minha escorpião é...
Afinal não teve chopinho: Nicola exausto e eu também, com as pernas inchadas depois do show. Houve convite para jantar num lugar bem agradável, mas nós já tínhamos jantado e estávamos mesmo muito cansados. Nicola parte hoje, levando muitas fotos e desenhos das meninas para você. beijinhos

7:54 AM

 
Blogger 125_azul said...

Não sei porque o comentário anterior saiu anónimo! Era eu. Mais beijinhos

7:56 AM

 
Blogger Unknown said...

Antes de mais, deixe-me dizer-lhe que fiquei fascinado por este texto e que já o copiei para o reler muitas mais vezes e, de cada leitura apreender mais fundo.

Esta sua frase é lapidar: “[…]o mapa astrológico não determina e nem descreve como se é, mas as possibilidades que se tem para desenvolver melhor e com mais conhecimento de causa o potencial ali inscrito […].

Infelizmente, a maioria das pessoas não esta noção da astrologia. Utilizam-na para outras avaliações das suas vidas.

“Para aqueles que nascem de um mesmo óvulo e portanto, com características físicas externas muito semelhantes, a afirmação da individualidade fica ainda mais difícil”.

Eles terão o mesmo óvulo, mas são dois Seres distintos que nascem. Apenas o veículo físico que transportam é que é semelhante. Com o tempo e as experiências notaremos que não são “iguais”, mesmo tendo um mapa em tudo semelhante.

A teoria da polaridade é fascinante e parece funcionar, tal como a descreve e bem. No entanto, essas experiências de polaridade são para serem vividas por eles. Ao fazê-lo realizam o potencial que os fez escolher nascer como gémeos. E ambos estarão em processo evolutivo.

São 2 seres com veículos físicos semelhantes e corpos mentais e emocionais próprios e nem sequer têm que ser “parecidos”, além de terem os seus outros corpos extra-físicos e espirituais que, não têm que ser semelhantes. São Seres individuais, únicos, que estão aqui para fazerem experiências comuns e opostas, individuais e sinergias de partilha.

Não creio que se levem à anulação mútua, a menos que sejam estimulados a isso pelo ambiente exterior: família, escola, comunidade, sociedade, futuras uniões. O papel dos pais de gémeos é de uma importância enorme. E, ao mesmo tempo, tem que ser gerida como se de uma filigrana se tratasse. Nenhum dos gémeos pode ser tratado de maneira diferente do outro, para que a malha dessa filigrana não se rompa.

É aqui que o astrólogo deve desempenhar o seu papel. Olhar atentamente para o mapa dos pais e dos filhos gémeos, prevenindo as linhas de tensão que possam existir. A mãe e o pai de gémeos serão bem aventurados se atraírem para a vida deles uma astróloga como você, que os possa orientar, amaciar e dedicar-se com isenção a estas análises.

Por isso eu entender que a visita a uma astróloga como a Ângela deve ser encarada como uma função regular e prazenteira, tal como é uma necessidade tratar rotineiramente de outros aspectos da sua vida.

Bem haja, Ângela, por este belíssimo texto, que intuo haver ainda mais para dizer, mais para nos ensinar.

Obrigado,

António

12:56 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Como é bom onhecer coisas novas, aprendo sempre vindo aqui. Lindíssimo texto.

5:37 PM

 

Postar um comentário

<< Home