Desde sempre lembro-me viajando em imagens. Primeiro elas fugiram de meu olhar interno e se faziam ver mergulhadas em papel e cores. Depois vieram as palavras e a inspiração dos sonhos, pois foi a realidade que, muitas vezes, trouxe os pesadelos. Em busca de organizar este mundo interior surgiu a Ilha.União de idéias e sonhos, asas que herdei. Apresento-a em pequenos trechos e peço que questionem, perguntem muito para que ela possa tornar-se mais rica e interessante, lugar melhor pra viver.

23.9.06

TODO O AMOR

Coração de tralhas - desenho de Quinho

Através da Greentea, de http://fasesdalua2020.blogspot.com/ cheguei ao blog Postais da Novalis
Lá, numa proposta muito criativa, convidavam os bloguistas a escrever sobre o Amor.
Vacilei mas, na úlitma hora, cedi. Ontem ainda tive tempo para postar algumas idéias mas, ao deitar, as letrinhas não me abandonaram e, como o tema persistiu em meus sonhos e o prazo dos Postais da Novalis se esgotou, coloco aqui o resultado para saudar a entrada da primavera e enviar à minha mãe, onde estiver, todo o amor que sempre precisou e não pode receber em vida.


Todo o Amor

Pela primeira vez abriu os olhos e, fitando aquela que o amamentava, sentiu amor.

Na sensação dos fortes braços que o sustentavam com cuidado, percebeu o amor.

Segurou as velhas mãos que o guiavam e sentiu seu amor.

Abraçou o corpo que o protegia do medo e sentiu o que era amor.

Ganhou uma lambida de seu cãozinho em seu pequeno rosto suado e sentiu amor.

Partilhando o brinquedo com outro pequeno, percebeu que havia amor.

Olhou para aquela que lhe ensinava a ler e sentiu amor.

Corou quando a menina tímida lhe sorriu e sentiu que era amor.

Levantou os olhos para o altar iluminado e, rezando, sentiu amor.

Andou na rua e, vendo um homem que mendigava, olhou-o com amor.

À noite, ouviu alguém chorando e pediu por ele com amor.

Abraçou a mulher que o beijava e sentiu que era amor.

E, vendo-a nutrir seu filho ao peito, lembrou do amor.

Sustentando o pequeno em seu braço forte, com ternura, recordou o amor.

Ensinando aos meninos a jogar bola, sentiu amor.

À cabeceira do filho ardendo em febre sentiu outro amor.

Apartando as brigas das crianças, partilhou amor.

Ouviu as queixas do amigo e o fez com amor.

Cobrindo o corpo cansado de seu pai, retribuiu amor.

Salvando o pássaro de asa quebrada, sentiu novo amor.

Fazendo a cerca para as novas mudas que nasciam, percebeu-se amor.

Misturando a massa para o pão do dia, fermentou-a com amor.

Pintando as janelas da casa onde moravam, trabalhou com amor.

Levou a filha ao altar e, entregando-a ao noivo, doou muito amor.

Colocou o neto ao colo e com ele brincou de amor.

E, ao fechar os olhos, fitando a eternidade, sentiu–se retornar ao Grande Amor.


Angela Schnoor.

Em 23 de setembro de 2006 – 04h01’ RJ.




frase do dia:

Um dia a gente vai perceber que não se pode prender pássaros nem corações;
e que estar junto não é estar ao lado, mas sim do lado de dentro.
-anônimo-
Posted by Picasa

11 Comments:

Blogger Pitanga Doce said...

Schnoor, não vou comentar o seu texto porque não há palavras. Quanto a frase do dia cai como luva no meu texto É Preciso Deixá-los Voar. Estou vivendo este momento e sei que o que importa é estarmos dentro do coração da pessoa amada e ela no nosso.
beijos doces de primavera

10:57 AM

 
Blogger António Rosa said...

Lindo texto definitivo.

===

PEDIDO DE AJUDA A TODOS OS AUTORES DO LIVRO “QUE É O AMOR?”

Criei o sítio “Que é o amor? – o blogue do livro” para dar continuidade à ideia da publicação do livro, para que este assunto não se perca no meio das postagens do “Postais da Novalis”.

O endereço é este:

http://queeoamor.blogspot.com


A ajuda que peço é esta: que gastem uns minutos do vosso tempo e numa rápida ida até esse blogue, verifiquem, na coluna da direita:

1) Se não me esqueci de lá colocar o linque do seu blogue.

2) Se o nome do blogue está correctamente escrito, bem colocado por ordem alfabética e se funciona bem quando se clica.

Se houver alguma anomalia, por favor, deixem um comentário no próprio blogue.

Um abraço,

António.

11:31 AM

 
Blogger melga meiguinha said...

Que texto fantástico Ursa Mãe.

Você consegue ver amor em tantas coisas mais, ou menos, bonitas.

Como eu gostava de escrever assim.

O anónimo da frase tem toda a razão,embora seja muito bom "estar ao lado".

Beijinhos.

12:35 PM

 
Blogger Leticia Gabian said...

Que lindo, mulher! Adorei o que li.
Linda também é a frase do anônimo.
Beijo, com amor fraterno

2:24 PM

 
Blogger C_mim said...

oi.. já vi o orkut... agora só resta aguardar. Muito obrigada pela ajuda da sua mana.

5:19 PM

 
Blogger 125_azul said...

As suas definições são tão definitivas que não há mais nada a dizer. parabéns, seu amor vai virar livro! E tanta, tanta gente vai poder aprenderum pouquinho com sua doçura!
Muitos beijinhos orgulhosos de vc.

7:43 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Muito bonito. Amor o que falar sobre ele.

7:48 PM

 
Blogger melga meiguinha said...

Ursa Mãe,

Há dias, num outro post, falei do nosso poeta popular António Aleixo.

Deixo aqui uma quadra que tem tudo a ver com a outra.

Sei que pareço um ladrão...
mas hà muitos que eu conheço
que, não parecendo o que são,
são aquilo que eu pareço.

Beijinhos.

5:26 PM

 
Blogger Kalinka said...

OLÁ ÂNGELA

Muito LINDO o seu conceito de Amor.
Parabéns por esse coração sensível e alma de poeta.
ADOREI ler.
António Rosa fez um desafio para a blogosfera, com certeza, nunca ele pensou encontrar tanta gente talentosa. Qualquer dia vai ter que fazer o 2º livro sobre o Amor, não acha?

Beijos ternos.

8:45 PM

 
Blogger C_mim said...

ursamãe,

Menina já viu e apagou nossos recados no orkut. Acho que já nada mais podemos fazer, só aguardar...
Te vou dizendo coisas...

Muito obrigada pelo empenho e esforço. Beijinhos

6:29 AM

 
Blogger Angela said...

Queridos:andei tão sem tempo que nem pude agradecer todo este apoio e carinho sobre este texto.

Pitanga, que o seu elemento ar te ajude sempre!

Antonio, já nos falamos por email. obrigada!

Meiguinha, é bom sim, estar ao lado mas, desde que estejamos "dentro", senão... não há nada...

Letícia,
acho que temos uma boa afinidade! um beijo carinhoso.

125 azul, só esqueci de dizer que aquele pássaro bem podia ser uma arara! querida linda!

Eduardo, voce vê nos outros todo o bonito que há em vc.!


Meiguinha, que ótima trova! E, cabem muitas outros adjetivos aí no lugar de ladrão!

Kalinka.
é mesmo! Quem sabe o António vai terminar por fazer uma coleção de pequenos livros! fui te visitar. um beijo!

C_mim, querida, todos fizemos tudo que podíamos. Agora é torcer para que a menina My tenha a mesma motivação de rever passado! Torço por vc.!

2:51 AM

 

Postar um comentário

<< Home