Desde sempre lembro-me viajando em imagens. Primeiro elas fugiram de meu olhar interno e se faziam ver mergulhadas em papel e cores. Depois vieram as palavras e a inspiração dos sonhos, pois foi a realidade que, muitas vezes, trouxe os pesadelos. Em busca de organizar este mundo interior surgiu a Ilha.União de idéias e sonhos, asas que herdei. Apresento-a em pequenos trechos e peço que questionem, perguntem muito para que ela possa tornar-se mais rica e interessante, lugar melhor pra viver.

9.1.13

ESPERANÇA





Uma vez a Adélia Prado nos contou lá em casa (e acho que depois escreveu em um livro) que um dia ela estava de visita a um cemitério. E ela estava muito triste e sem esperança alguma no futuro.
Daí então, por um momento ela parou e pediu a Deus: "Deus, você poderia ao menos me dar um pequeno sinal de esperança!"
Logo depois apareceu uma mulher, saída não se sabe de onde. E ela pediu uma informação qualquer à Adélia. E ela deu a informação pedida.
E de repente, não sabe também porque, Adélia resolveu perguntar; "moça, como é o seu nome?"
E a moça respondeu: "Esperança".

Recebido de um amigo por e-mail


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home